quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Eleições II


Como divulgamos na postagem de 04 de setembro, procuramos os cinco candidatos a prefeito de Pelotas para conversarmos sobre assuntos de interesse da Categoria. Sejam eles:
·        Privatização, terceirização, parcerias público privadas (PPPs) e aluguéis de veículos e equipamentos para os serviços de água e saneamento;
·        Política salarial;
·        Plano de carreira;
·        Condições de trabalho e
·        Participação dos servidores na gestão do SANEP.
Depois das reuniões, solicitaríamos, por escrito, seus posicionamentos e proposições com relação a esses assuntos.
Procuramos a todos os candidatos.
Conseguimos nos reunir com Jurandir Silva, Catarina Paladini, Matteo Chiarelli e Fernando Marroni, 
A reunião com Catarina Palladini foi a que ele mesmo promoveu para os servidores do SANEP.
Com Matteo Chiarelli houve dois encontros - o último foi promovido pelo candidato para mais servidores e, nos dois, o Diretor Presidente do SANEP estava presente.
Já a reunião com Fernando Marroni durou muito pouco tempo. Quando ainda estávamos tratando do primeiro ponto da nossa pauta, o candidato questionou nossa representação junto à Categoria e, alegando respeito aos sindicatos e às categorias, tratou de encerrar a reunião.
O candidato Eduardo Leite, por conta de problemas de agenda, não pode nos receber a tempo de elaborarmos este retorno aos nossos colegas.
Não recebemos retorno por escrito de nenhum dos candidatos. Por essa razão, não poderemos entrar em detalhes sobre as reuniões. Apenas faremos um apanhado geral a respeito dos assuntos tratados.
Sobre POLÍTICA SALARIAL, PLANO DE CARREIRA, CONDIÇÕES DE TRABALHO e PARTICIPAÇÃO DOS SERVIDORES NA GESTÃO, de forma geral, os candidatos preferem avaliar a situação que irão encontrar na Prefeitura antes de tratarem de índices e prazos.
Porém, manifestam que o servidor precisa ser valorizado com salário digno, plano de carreira, condições de trabalho e que a autarquia pode funcionar melhor se os servidores participarem da gestão.
Lamentamos que não tenhamos recebido respostas por escrito, pois só ouvimos propostas "muito boas" e seria ótimo citá-las aqui.
Quanto ao primeiro ponto, PRIVATIZAÇÃO, TERCEIRIZAÇÃO, PPPs E ALUGUÉIS DE VEÍCULOS E EQUIPAMENTOS, todos com os quais conversamos afirmam interesse em valorizar a autarquia e fortalecê-la. Porém, foram manifestadas intenções de realização de PPPs para solucionar o problema dos resíduos sólidos.
Sem dúvida, esse problema exige uma solução. Conforme o edital da CONCORRÊNCIA N.º 02/2011, do SANEP, o valor do serviço de transbordo é de R$ 14.841.767,93 por dois anos, ou seja, R$618.407,00 por mês. Como solução pra esse problema, alguns candidatos consideram a possibilidade de se transformar os resíduos sólidos em energia através de PPPs que atuam com o "tratamento térmico", que pode ser incineração ou pirólise.
Entendemos que esse tipo de solução merece uma discussão considerável em que todos fiquem cientes dos riscos ambientais implicados, principalmente com relação às substâncias tóxicas que podem ser liberadas nesses processos, como as dioxinas. Segundo Frei Beto, no artigo Morra pela boca[1], publicado na edição 159 do Correio da Cidadania, as dioxinas "são 500 vezes mais tóxicas que o famoso veneno estriquinina. Modificam o nosso código genético e causam câncer". Ainda, são produzidas pelos incineradores de lixo, passam facilmente pelos filtros e as cinzas podem contaminar o solo e o lençol freático.
Por outro lado, entendemos que qualquer solução deve considerar que as PPPs são uma forma de privatização, sim. Entendemos que, se há condições de empresas privadas lucrarem com a prestação do serviço, que seria pago pela população, muito melhor seria a própria Autarquia prestar esse atendimento e reverter esses valores em benefícios à cidade. As empresas que trabalham com saneamento e tratamento de resíduos sólidos no mundo são as mesmas que trabalham com tratamento de água. A porta de entrada é o saneamento, que é bem dispendioso e a meta é a privatização da água que é um bem cada vez mais valorizado economicamente em todo o mundo.

Fiquemos atentos!


terça-feira, 11 de setembro de 2012

SIMP REALIZARÁ DEBATE COM OS CANDIDATOS A PREFEITO


SIMP realizará debate com os candidatos a Prefeito nesta quinta feira, 13/09/12, às 14h30min no auditório externo do Colégio Municipal Pelotense.
Para o ingresso dos servidores da Administração Indireta, será exigido:
  • Contracheque original a partir de maio/2012,
  • Documento oficial com foto ou carteirinha do SIMP;

ou:
  • Contracheque impresso de agosto carimbado pelo DERH,
  • Documento oficial com foto ou carteirinha do SIMP.



terça-feira, 4 de setembro de 2012

Eleições

Sobre as ELEIÇÕES MUNICIPAIS 2012, comunicamos que o Grupo A Gota que Faltava não apoia nenhum candidato ou partido e que seus componentes, individualmente, são livres para exercerem seus direitos políticos da maneira que melhor entenderem.

Comunicamos, também, que estamos contatando os cinco candidatos a Prefeito para questionarmos sobre os seguintes assuntos:
  • Privatização, terceirização, parcerias público privadas (PPPs) e aluguéis de veículos e equipamentos  para os serviços de água e saneamento;
  • Política salarial;
  • Plano de carreira;
  • Condições de trabalho e
  • Participação dos servidores na gestão do SANEP.
A intenção é nos reunirmos com cada um dos candidatos e solicitar, por escrito, um resumo da reunião, manifestando seus posicionamentos e proposições com relação a esses assuntos.
No momento em que estivermos com os documentos de todos ou a negativa em se manifestar, publicaremos os resumos aqui no blog e em informativos impressos.
Entendemos que essa é uma forma de conhecermos as intenções de cada candidato  e, de certa forma, conseguirmos o comprometimento dos mesmos em relação aos principais assuntos do interesse da Categoria.

sexta-feira, 25 de maio de 2012

SANEP condenado a devolver as horas descontadas pela greve de 2011


Conforme sentença do Processo 0000166-61.2012.5.04.0103, em que o SIMSAPEL requereu a devolução das horas descontadas pela greve do ano passado, dos servidores do SANEP, o Juiz do Trabalho Frederico Russomano deu ganho de causa para os trabalhadores:

"Defiro, portanto, o pedido de suspensão dos descontos efetuados a título de 'Horas Faltas' decorrentes de participação no movimento grevista e a devolução dos descontos já efetuados referentes à greve".

VITÓRIA DOS TRABALHADORES!

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Perseguição a liderança de greve no SANEP

Seis dias após o término da greve no SANEP, pela manhã, ao chegar ao posto de trabalho, a servidora Rosemeri Santos, redatora deste blog, componente da Comissão de Negociações Salariais 2012 e do Comando de Greve, foi comunicada de que havia sido transferida de local de trabalho e que deveria se apresentar na nova divisão, ou seja; no Departamento de Esgotos – Divisão de Esgotos Pluviais, no mesmo dia, ou seja, hoje, 16/04.
Não houve aviso anterior para a funcionária ou sequer justificativa técnica para a transferência. A própria Chefe da Divisão em que esteve lotada a quase três anos, foi comunicada ao mesmo tempo que a Servidora Transferida. O novo chefe de nada sabia, tendo sido comunicado da transferência pela própria funcionária, por telefone, antes de se apresentar ao posto de trabalho.
A servidora reconhece como dignos todos os postos de trabalho da Autarquia e entende que, não havendo desvio de função, deve exercer sua atividade onde for necessário, contudo, ao chegar à nova divisão, verificou que não há acomodações e nem equipamentos para que possa exercer suas funções, ao mesmo tempo que o trabalho interno e o atendimento ao público resta acumulado para seus colegas da antiga divisão que, além de sua transferência, acabam de perder uma funcionária, concursada e nomeada em outra instituição.
A forma como se deu a transferência não deixa dúvidas de que o ato administrativo não decorreu de necessidade do serviço, mas de uma obscura retaliação contra a organização dos trabalhadores, sobretudo, contra o Direito de Greve, que apesar de consagrado na Constituição da República, não é respeitado pela atual administração.
Como se não bastasse atitude arbitraria e repressiva, pela parte da tarde, ao ser questionado sobre “as razões do remanejamento”, o Diretor Interino do SANEP respondeu à funcionária, perante cinco testemunhas, que o fez “por ordens superiores", ou seja, da Prefeitura de Pelotas.
Não há duvidas que a retaliação sofrida pela servidora tem como objetivo atemorizar os demais funcionários que lutam por melhores condições de vida, assim como, dificultar as mobilizações, contudo, devemos considerar que as relações de poder tem suas peculiaridades e uma atitude como essa só revela o quanto a administração municipal se encontra afetada pelo justo Movimento dos Trabalhadores do SANEP.
Esse episódio não abala em nada, pelo contrário, desmascara o poder e reforça a disposição de quem tem consciência de que a luta é justa e necessária.

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Servidores do SANEP e da Prefeitura optam por aumento zero

Em assembleia realizada na última terça-feira, 03/04, a categoria dos servidores do SANEP havia deliberado, por maioria, que, no caso de não haver avanço nas negociações, o índice 4,53%, proposto pelo Executivo, seria rejeitado.

Os municipários, em assembleia do SIMP na câmara, hoje, também decidiram pela rejeição à proposta do Governo.

De forma autoritária e intransigente, a Prefeitura e a Direção do SANEP negaram-se ao diálogo e à negociação, mantendo as portas fechadas aos trabalhadores.

Como forma de protesto os servidores decidiram por não receber aumento a ter de aceitar a “migalha” oferecida pelo Governo Municipal. É um fato inédito na história da luta dos trabalhadores em Pelotas, que registra a indignação dos servidores públicos municipais e do saneamento em relação ao desrespeito com que essa administração vem tratando as pautas do funcionalismo e, consequentemente, a qualidade dos serviços prestados à população.

Por dez votos a quatro, os vereadores rejeitaram o projeto de reajuste da administração direta e aprovaram a emenda que excluiu o SANEP do projeto da administração indireta.

O fato de os vereadores, por maioria, terem acatado as deliberações das assembléias configura uma vitória para as lutas dos trabalhadores, referendando a assembleia como instância maior e soberana das decisões de uma categoria e, de certa forma, convocando os trabalhadores a fazerem-se presentes nas lutas em defesa dos seus interesses coletivos.

Na segunda-feira, 09/04, ás 9h, no Auditório do Colégio Pelotense, haverá a continuação da assembleia dos servidores do SANEP.

domingo, 1 de abril de 2012

Greve dos trabalhadores do SANEP – a semana

Segunda-feira

A concentração foi em frente ao prédio da Av. Duque de Caxias durante todo o dia. Para o almoço, foi providenciado um cachorro quente, com a contribuição de todos os presentes para a compra dos ingredientes.

Terça-feira

Continuamos com a concentração no mesmo local de segunda-feira e também foi feito o cachorro quente.

Recebemos a visita da Guarda Municipal, que tinha o objetivo de “desobstruir” o portão para a saída de veículos. Com uma conversa entre o Comando de Greve e o chefe da Divisão de Veículos, a situação foi contornada, temporariamente. Mais tarde, a visita foi da PM.

Essa mobilização da Guarda e da Brigada, solicitada pela Direção do SANEP, foi um evento gratuito e desnecessário, provavelmente para criar fatos em torno da greve. Havia caminhões, máquinas e viaturas suficientes em outros prédios para atender aos serviços essenciais.

Ressalte-se que havíamos enviado documento à Direção na sexta-feira, 23, solicitando reunião para tratar desses serviços, mantendo a população atendida e cumprindo com o que nos cabia. Porém, até agora essa reunião não ocorreu.

Ainda na terça-feira, a Direção do SANEP veiculou nota na referindo-se a possíveis atos de vandalismo. Respondemos a isso com uma NOTA DE REPÚDIO, enviada aos órgãos de imprensa e que pode ser lida aqui.

Quarta-feira

Iniciamos a manhã em frente ao prédio da Av. Duque de Caxias, onde nos foi encaminhada uma liminar para que fosse desobstruída a passagem de veículos. Medida totalmente desnecessária e que já era esperada.

Então, nos deslocamos até a frente da Sede da Autarquia e lá ficamos até o final da manhã.

Às 13h foi realizada assembleia em frente ao prédio da Duque, em que ficou deliberado que continuaríamos a greve até nova assembleia na sexta-feira, 30/03, às 14h; que participaríamos da “Marcha dos 200 anos de quê?”, promovida pelo SIMP naquela tarde e, também que a vacância deixada por Valdir Ferreira na Comissão de Negociação seria preenchida por José Luis Barr dos Santos.

A “Marcha dos 200 anos de quê?” começou com concentração no Altar da Pátria e prosseguiu pela cidade até a frente da Prefeitura, demonstrando o descontentamento de milhares de trabalhadores municipários da administração direta e indireta, incluindo a maioria dos trabalhadores do SANEP que estão paralisados. A manifestação encontrou eco nas pessoas que passa pelas ruas, demonstrando que esse descontentamento não é só dos trabalhadores do município.

Quinta-feira

Voltamos a nos manifestar em frente à Sede do SANEP, na Félix da Cunha, até o final da manhã, quando nos dirigimos em marcha até a Praça Cel. Pedro Osório, onde os municipários haviam realizado uma plenária. Esse encontro culminou em grande manifestação no largo do Mercado.

À tarde, a Comissão de Negociação teve reunião com alguns vereadores, em que ficou acertado que uma comissão composta por eles iria procurar a Direção do SANEP para tentar abrir as negociações, o que ficou marcado para segunda-feira, às 14h30min.

Sexta-feira

Novamente, concentração em frente à Sede pela manhã e assembleia às 14h no Auditório do Colégio Pelotense, em que ficou deliberado que a greve continua até a próxima assembleia, terça-feira, 03/04, às 11h, no mesmo local. Também se deliberou uma caminhada do prédio da Duque até a Sede na segunda pela manhã, com cachorro quente na hora do almoço. Outro ponto foi a reafirmação, em ata, da vontade da categoria em que, as negociações sejam realizadas pela Comissão de Negociações, impreterivelmente com a presença dos membros eleitos em assembleia.

Sábado

Um grupo de trabalhadores do SANEP participou da “Carreata dos 200 anos de quê?”, promovida pelo SIMP, com a participação de outros sindicatos e movimentos sociais. A carreata saiu do Colégio Pelotense e percorreu vários bairros da cidade, demonstrando, mais uma vez, o descontentamento com a festa dos 200 anos que se faz à custa da desvalorização do trabalhador.

- - -

Continuamos firmes no movimento pela nossa dignidade.

quarta-feira, 28 de março de 2012

Nota de Repúdio

O Comando de Greve dos trabalhadores do SANEP vem a público manifestar seu repúdio a Direção do SANEP que tenta desmobilizar a Greve dos funcionários acusando o Movimento de atos de vandalismo através de nota encaminhada pela Direção da Autarquia e divulgada pela imprensa.

Nosso movimento é pacífico e vem sendo realizado nos limites da Lei. Eventuais danos a equipamentos ou adutoras, caso tenham realmente ocorrido, certamente tem origem naqueles a quem interessa criar fatos para ameaçar os trabalhadores e desmobiliar a Greve.

O direito de não aderir à greve está sendo garantido aos colegas que decidiram trabalhar, o que, certamente, se verificará através dos registros de ponto.

A mobilização em frente ao prédio da Av. Duque de Caxias não impediu a saída de nenhum servidor ou veículo. Todos os que se posicionaram para a saída assim o fizeram. Ademais, havia retro escavadeiras, caminhões hidrojato e outras viaturas, em número suficiente, em outros prédios do SANEP, para que os serviços essenciais fossem realizados.


Cabe salientar que, no dia em que foi deflagrada a greve, a Comissão de Negociação procurou a Direção do SANEP para tratar a respeito do percentual de trabalhadores necessário para a manutenção dos serviços essenciais, a fim de que não houvesse prejuízo à população. O Diretor da Autarquia negou-se a nos receber. Fizemos o que nos cabia, solicitando tal reunião por escrito e, até agora, aguardamos a resposta.

Ao mesmo tempo em que não nos recebe para negociar nossas reivindicações, a Direção da Autarquia tenta confundir os trabalhadores e a opinião pública, divulgando dados que apontam salários ilusórios calculados com a inclusão de direitos como insalubridade horas extras e vale alimentação, revelando total descaso para com as condições de vida dos servidores.

Por fim, afirmamos que nosso desejo é que esse impasse se dissolva o mais rapidamente possível, para que possamos voltar ao trabalho e prestar cada vez mais um serviço de qualidade à população de Pelotas.


Comando de Greve dos Servidores do SANEP



segunda-feira, 26 de março de 2012

Esclarecimentos sobre a greve

A Direção do SANEP manifestou-se no site da Prefeitura sexta-feira, 23/03, a respeito da decisão dos servidores de entrar em greve.

Gostaríamos de esclarecer alguns pontos a respeito de nosso movimento e das manifestações do Diretor da Autarquia.

Nossa pauta de reivindicações

Aumento de 21,22% no salário e no vale alimentação;

Antecipação da data base para 1º de janeiro e

Negociação dos dias parados.

O índice de 4,53%, dado pelo IGP-M, que é o mais baixo de todos os estudos que se apresentaram para a inflação do ano de 2011. Reivindicamos 6,22%, dado pelo IPCA para recuperar a inflação do ano. Além disso, nos últimos dez anos houve perdas expressivas no poder de compra de nossos salários. Pleiteamos, então, 15% de aumento real, a fim de recuperar parte dessas perdas. Por isso o índice de 21,22%.

Vale alimentação

O vale alimentação é uma ajuda para a alimentação do trabalhador e uma conquista da luta da Categoria durante anos. Cabe salientar que o servidor não recebe vale quando adoece ou está em licença. Tampouco leva esse benefício para a aposentadoria. Também, o vale não compõe o cálculo de vantagens, de horas extras, de férias e de abono natalino. Portanto não pode ser considerado no cálculo de evolução salarial.

Algumas das reformas nas instalações

O refeitório da sede tem 9m² e, assim como os outros, compreendeu colocação de azulejos e piso pelos próprios trabalhadores da Autarquia. Portanto, custo baixo.

Os investimentos

Quando menciona “todos estes investimentos feitos”, o Diretor é reticente. Caso esteja se referindo ás obras da ETA S. Gonçalo, ETE Novo Mundo e Coletor CG3, devemos lembrar que os valores destinados a essas obras foram obtidos a fundo perdido do Orçamento Geral da União, conforme publicação no site da Prefeitura de 31/10/2011, intitulado Prefeitura assegura R$ 61 milhões para saneamento.

Aluguel do prédio da Avenida Duque de Caxias

O prédio é uma verdadeira estufa, com telhado de amianto e paredes de vidro. Os servidores penaram durante dois verões até que houvesse uma solução, que compreendeu a compra de muitos aparelhos de ar condicionado, a construção de uma subestação para que eles pudessem funcionar. Isso significa que a autarquia deverá arcar com uma despesa monstruosa em energia elétrica por conta disso.

O aluguel custa R$14.000 por mês, conforme empenhos publicados no site do TCE. Se o SANEP permanecer lá por 5 anos, será um montante de R$ 840.000,00. Some-se a isso o valor da reforma, que se estima em algo com seis dígitos, mais a compra dos aparelhos de ar condicionado, a subestação, a despesa com a energia elétrica e o combustível gasto para que os veículos se desloquem da garagem, que fica nesse prédio, até as divisões onde estão os trabalhadores dos setores operacionais, teria sido mais barato comprar um prédio e aplicar o dinheiro com que o cidadão paga a conta de água em algo de propriedade do SANEP.

Condições de trabalho

É bom que a população conheça a realidade das casas de bombas do SANEP, que apresentam, em alguns casos condições subumanas para os funcionários e perigo constante pelas péssimas condições de segurança e das instalações dos “prédios”.

Casa de bombas das Doquinhas

Banheiro da casa de bombas da Colônia Z3

Manutenção

Reconstrução das casas da ETA Moreira, compra de veículos, cursos de qualificação, renovação da rede de informática, aquisição de coletores de dados, modernização de móveis e ar condicionado, aquisição e reformas de cabines de caminhões são açoes de manutenção da funcionabilidade da Autarquia e devem estar previstas no orçamento da mesma.

A realização de concurso público é necessária para que não falte mão de obra e para que não sejam necessários os contratos emergenciais, que não configuram a forma mais justa de preenchimento dos cargos.

Maiores gratificações para Chefes de Departamento

Um bom número de chefes de departamento é CC e passaram a receber adicional por dedicação exclusiva sobre seus gordos salários e a estarem desobrigados de registrar o ponto.

Direitos trabalhistas

Compra de EPI é obrigação da Autarquia e deve ser despesa prevista, já que é obrigatório o uso desses equipamentos para a segurança e saúde do trabalhador.

Pagamento de Insalubridade é uma forma legal de compensar o comprometimento da saúde no exercício de determinadas funções

Gostaríamos de lembrar que horas extras são necessidade da Autarquia e não vantagens aos trabalhadores. O trabalhador que tiver de deixar o convívio com sua família e seu lazer para atender a essa necessidade deve ser remunerado por isso na forma da lei.

Frequentemente, a Direção do SANEP tem somado as horas extras e outros direitos para calcular o salário do trabalhador e dizer que estes somam altos rendimentos. Também justifica as despesas com pessoal pelos pagamentos de precatórios e de licenças prêmio. Lembramos que ambos são direitos garantidos por lei ou conquistados judicialmente. A Direção, quando defasa os salários para o cumprimento das obrigações trabalhistas, na verdade, tira esses direitos dos servidores, revelando pouca capacidade para administrar os recursos da Autarquia e descaso para com o tempo e o trabalho da Categoria.

Plano de carreira

Em sua manifestação, o Diretor referiu-se a “algumas pessoas da categoria” que, segundo ele, influenciaram para que não se tivesse o Plano de Carreira. Algumas pessoas a que o Diretor se refere são os trabalhadores presentes às assembléias e que decidiram que aquele era o momento de se negociar “índice de aumento salarial da data base” e não uma pauta mais complexa, como é o caso de um Plano de Carreira. Ademais, nos anos anteriores não houve discussão de índice numa expectativa vã de implantação do tal plano. Pelo reflexo que pode ter em toda a carreira profissional e na aposentadoria dos trabalhadores, um plano de carreira deve ser objeto de discussão e análise aprofundadas.

Ressalte-se que, de forma nenhuma os trabalhadores abriram mão do Plano de Carreira. Somente decidiram que, na data base, o que se discute é aumento salarial.

Legalidade da greve

A direção do SANEP negou-se a receber a Comissão de Negociações quando esta foi comunicá-lo da deflagração da greve. Receberia apenas o Presidente do Sindicato, o que não foi aceito, pois a Comissão foi eleita em assembleia como representantes legítimos da Categoria.

Encaminhamos, por escrito, tal comunicação, tendo sido recebida pela assessora, assim como a solicitação de uma reunião dessa mesma Comissão com o Diretor do SANEP, para que se possa tratar de acordo quanto à porcentagem de servidores necessários para a manutenção dos serviços essenciais. Entendemos que esse diálogo é necessário para que a população não venha a ser prejudicada nesse processo. Porém, até agora, não obtivemos resposta da Direção.

De nossa parte, estamos assessorados juridicamente para mantermos a greve dentro da legalidade.

Modelo de saneamento

Entendemos que a Autarquia tem condições de oferecer um índice bem maior do que o que foi oferecido e que a greve só foi deflagrada pela ausência de negociações.

O Diretor liga essas justificativas à possibilidade de a Autarquia vir a ser um modelo de saneamento. É o que queremos também. Porém, isso não pode acontecer à custa do sacrifício do trabalhador.

Lembramos que a greve é um direito garantido pelo Art. 9º da Constituição Federal.


sexta-feira, 23 de março de 2012

Servidores do SANEP entram em greve

Em assembleia realizada hoje, 23/03, às 9h da manhã, no Sindicato dos Rodoviários, foi deflagrada greve a partir de segunda-feira, 26/03/2012.

A assembleia mostrou a indignação causada pela forma desrespeitosa com que vem sendo tratada pela Prefeitura e pela Direção do SANEP, uma vez que não houve nenhuma abertura para negociações e para diálogo. Até agora só recebemos uma proposta ridícula de 4,53%, ameaças e portas fechadas.

Ontem, Dia Mundial da Água, realizamos ato na Esquina Democrática, com caminhadas pelo Centro de Pelotas, manifestações na frente do SANEP e da Prefeitura, onde nos esperava a Guarda Municipal, em bom número, fechando o acesso ao Saguão principal.

Mesmo assim, nosso ato foi vitorioso, na medida em que conseguimos mostrar nossas razões à população de Pelotas.

Hoje, decidimos fazer o que nos cabe pela nossa valorização profissional: GREVE!

Os colegas que disseram SIM, hoje, na assembleia, poderão olhar para seus filhos tendo a certeza de ter dado o exemplo de coragem e dignidade a ser levado pela vida toda.

Isso é impagável.

quarta-feira, 21 de março de 2012

Paralisação nesta quinta-feira

Continuamos sem uma resposta positiva por parte do Executivo. Ao contrário, o Diretor do SANEP, chamou a Comissão de Negociações para uma reunião, para dizer que a proposta da Prefeitura continua a mesma, 4,53%.

As decisões da assembleia desta quarta-feira foram:

Ida à Câmara de Vereadores para pedir o trancamento de pauta.
Fomos até lá, onde já estava o SIMP e conseguimos o apoio dos vereadores presentes, para as duas categorias, ou seja, a pauta só destranca se houver acordo da PMP com as duas categorias.

Paralisação QUINTA, com ato público na esquina do chafariz do calçadão, onde estará acontecendo evento do DIA MUNDIAL DA ÁGUA, às 9h.

Assembleia na SEXTA, dia 23, às 9h, no Sindicato dos Rodoviários, Rua Senador Mendonça, 160.


terça-feira, 20 de março de 2012

Assembleia quarta-feira 21/03

Amigos,

A assembleia desta quarta-feira, 21/03/2012 será no auditório do Colégio Municipal Pelotense às 9h.

A presença da maioria dos trabalhadores na assembleia é imprescindível para a definição dos rumos do movimento.

Todos na Assembleia!

Abraço!


segunda-feira, 19 de março de 2012

Governo oferece 4,53%

Hoje, na assembleia geral foi encaminhada a contraproposta do Executivo: apenas 4,53%.

A comissão de negociações da categoria fez uma análise da evolução dos salários do SANEP nos últimos 10 anos, comparando com os aumentos do salário mínimo, das tarifas de água e esgoto do SANEP e com a arrecadação do sanep. Veja os quadros abaixo, elaborados com base em dados pesquisados no site da Transparência da PMP e no site do Tribunal de Contas do Estado do RS:

Em R$:

ANO

SALÁRIO MÍNIMO

SALÁRIO SANEP NÍVEL 1

TARIFAS DE ÁGUA E ESGOTO CLASSE 1 MAD.

ARRECADAÇÃO SANEP

2002

R$ 200,00

R$ 318,63

R$ 6,70

R$ 28.543.139,00

2003

R$ 240,00

R$ 352,55

R$ 8,10

R$ 31.650.341,51

2004

R$ 260,00

R$ 386,98

R$ 8,70

R$ 35.397.620,23

2005

R$ 300,00

R$ 424,87

R$ 9,20

R$ 37.184.880,57

*

2006

R$ 350,00

R$ 446,20

R$ 9,49

R$ 38.972.140,90

2007

R$ 380,00

R$ 464,05

R$ 10,08

R$ 42.826.862,43

2008

R$ 415,00

R$ 491,43

R$ 11,30

R$ 47.728.260,65

2009

R$ 465,00

R$ 518,61

R$ 11,80

R$ 52.475.575,51

2010

R$ 510,00

R$ 549,72

R$ 12,80

R$ 57.356.887,02

2011

R$ 545,00

R$ 598,10

R$ 13,70

R$ 62.383.911,59

2012

R$ 622,00

*Valor não disponível no site do TCE RS - calculado pela média entre o anterior e o posterior.

Em percentuais:

ANO

SALÁRIO MÍNIMO

SALÁRIO SANEP NÍVEL 1

TARIFAS DE ÁGUA E ESGOTO

ARRECADAÇÃO SANEP

2002

11,00%

6,00%

33,96%

2003

20,00%

10,70%

20,13%

10,89%

2004

8,33%

9,80%

6,67%

11,84%

2005

15,38%

9,80%

6,36%

5,05%

2006

16,67%

5,00%

3,15%

4,81%

2007

8,58%

4,00%

6,28%

9,89%

2008

9,21%

5,90%

12,23%

11,44%

2009

12,04%

5,53%

4,17%

9,95%

2010

9,68%

6,00%

8,80%

9,30%

2011

6,86%

8,80%

6,95%

8,76%

2012

14,73%

211,00%

87,71%

104,48%

118,56%

Nosso salário foi o que menos cresceu. Além do salário mínimo, aumentou a arrecadação do SANEP e o valor das tarifas de água, em índices bem maiores do que o nosso salário.

Além disso, conforme o site do TCU, as despesas com pessoal comprometem, em média, 44,18% da Receita Corrente Líquida, enquanto que a Lei de Responsabilidade Fiscal permite o comprometimento de até 60%.

Isso significa que o SANEP, dentro da sua arrecadação, pode nos oferecer índices mais dignos do que esse “deboche” de 4,53%.

A categoria, em assembleia, não aceitou os 4,53% e continua buscando os 21,22%.

Ficou marcada nova etapa da ASSEMBLEIA PARA QUARTA-FEIRA, 21/03/2012, às 9H, em local a ser confirmado pela direção do Sindicato. E já foi solicitada uma reunião com o Executivo para antes de quarta-feira.

Temos que nos conscientizar de que:

O que menos evoluiu nos últimos 10 anos foi o nosso salário.

E nos perguntarmos:

Daqui a 10 anos, qual será a nossa situação?

O que vamos fazer para diminuir as perdas que se acumulam?

Todos na assembléia!

Quarta-feira - 21/03/2012

Às 09h

(Local a ser confirmado)