quinta-feira, 8 de julho de 2010

Uma consciência

Rosemeri Santos

Há coisas que estão tão presentes na nossa sociedade, tão arraigadas, que parecem estar corretas, mesmo estando erradas. É sobre uma dessas coisas que trata a historia que vou contar agora: é sobre abuso de poder.

É a história de um homem relativamente poderoso no lugar onde trabalhava. Ocupava um cargo em que tinha muitos funcionários subordinados a ele. Era uma pessoa que havia trabalhado bastante durante a vida, que não sabia o que era preguiça e havia começado “por baixo”.

Pois bem! Certa vez, alguns dos funcionários de seu setor estavam descontentes com a realidade que se apresentava para eles na empresa e resolveram buscar, com a união dos colegas, os seus direitos.

Quem nunca ouviu falar de histórias como essa? É muito comum, como também é comum que os chefes, os “superiores”, não aprovem esse tipo de mobilização.

Esse homem não sabia o que era isso - mobilização. Não conhecia a luta por direitos coletivos. Só conhecia a luta pelo seu crescimento e seu bem estar. Pois havia passado a vida inteira abaixando a cabeça para não descontentar seus superiores. Deixando que as injustiças acontecessem e se posicionando do lado dos poderosos. Assim, foi sendo promovido e chegou à posição de chefe.

Então, nosso personagem passou a distribuir as piores tarefas para aqueles que se levantavam contra o que estava posto. Humilhou, retalhou, mostrou "quem tinha o poder".

Se aquelas pessoas seguiram a sua luta ou se desistiram, não é do que vou tratar agora, porque são tantas outras historias dessas, umas vitoriosas, outras não. Você pode escolher a sua. Fique à vontade, leitor, para decidir o que seria mais justo.

Mas, o personagem principal é o tal homem. E ele seguiu sua vida, conquistando coisas que a nossa sociedade tanto valoriza e esqueceu dos valores que Deus esperava que ele buscasse.

Calma, leitor! Essa não é uma historia religiosa. É que esse homem havia manifestado fervorosa fé em Deus. Permita-me, então, trazer a essa crônica o mundo interno desse personagem.

Continuando, nosso homem chegou ao dia derradeiro acreditando que seu lugar no infinito estava garantido. Estando diante de Deus, apresentou-se e Deus perguntou o que desejava. Nosso personagem, desapontado, perguntou se Deus não o reconhecia, pois havia, ele, ido à igreja toda semana, orado de todo coração todas as manhãs e todas as noites, pago pontualmente o dízimo e feito doações aos necessitados.

Deus respondeu que sim, que o reconhecia. Não só pelos louvores, pelas preces, pela ajuda aos necessitados – o dízimo, não sabia o que era. Mas, também o reconhecia pelas humilhações que havia feito tantos passarem, o reconhecia pelo silêncio diante das injustiças e pela forma como se aproveitou disso para buscar vantagens para si, o reconhecia pelo posicionamento abusivo de tentar calar quem não concordava com ele.

Naquele momento, parecia tarde demais para descobrir o que Deus realmente esperava dele. Como em todas as histórias educativas, nosso homem arrependeu-se, implorou perdão e pediu que Deus não o abandonasse.

Deus, então, com toda a sua bondade, esclareceu ao nosso personagem: “Meu filho, nunca te abandonarei, como tu não abandonarias nenhum dos teus. Acontece que te ensinaram mal. Te ensinaram que Eu te julgaria, mas isso não é verdade. Quem te julga é a TUA CONSCIÊNCIA!”

Leitor, você também pode decidir qual foi o veredicto.


3 comentários:

  1. É uma pena que os homens que se julgam a si mesmo não dão valor ao que os outros pensam mas diante os olhos de Deus somos todos irmãos, sera que estes homens, que hoje estão nos prejudicando ou se omitindo,para nos ajudar tem familia acredito que não,pios somos todos irmãos ,filho do mesmo Pai.Pois se a justiça do homen falha a de Deus não.Não vamos desistir adimiro todos,pesso a Deus força para nunca desistimos do nosso ideal,pois somos a parte boa da historia e com serteza vamos ter um final feliz é só acreditar,pois isso vai ficar na hitoria e todos nós somos os perssonagens principais e eles os vilões ou melhor uma canbada de infeliz que um dia não vão saber omde se meter.confio muito nesta luta parabens pois eis um dos principais desta história te admiro assim como todos os outros.

    ResponderExcluir
  2. Pois é...lendo esta "história" posso identificar muitos destes homens, que sentam ao meu lado, muitas vezes,caminham pelos mesmos corredores por onde passo, e até me cumprimentam alegremente, e que também tenho certeza sentem as mesmas angústias, as mesmas inquietudes por um futuro que se apresenta cheio de incertezas, para si, para sua família-seus filhos, pois, assim como eu também conseguem fazer uma leitura da situação vivida diáriamente por todos nós, da falta de proventos adequados e justos para mantermos nossas famílias,da falta de respeito a que estamos sujeitos por concordar ou discordar de uma ou de outra situação ou diretriz tomada por aqueles que se acham superiores a nós, sempre a nossa revelia, e geralmente indo contra nossos interesses mínimos, básicos e contra nossas necessidades e por que não dizer quase sempre injustas, sem falar na incerteza se vamos dormir e acordar com o mesmo "carguinho", sabe como é...se aparecer um mais amigo ou mais puxa sacos do rei....
    Mas como foi dito no texto acima, este (s) personagem (ns)também veio de baixo e sofreu os mesmos problemas ao longo do tempo, e fez uma escolha, talvez a mais fácil, ou a única que teve coragem de escolher, baixar a cabeça para os que se acham poderosos e desta forma garantir meu pirão primeiro, como diz o velho ditado.
    O que devo fazer neste momento é dizer a este tipo de omens (a falta do h foi de propósito), é que nunca é tarde para mudar e recomeçar uma nova história de vida, com uma maior ombridade,justiça, solidariedade, igualdade, sim, porque somos todos iguais, pelo menos diante de Deus, e aqui entre nós, por menos que alguns queiram aceitar, nossas diferenças são apenas hierárquicas, que devem ser respeitadas mas não abusadas.
    Então, vem prá cá com a gente, tenho certeza que vais te sentir bem melhor, que vais poder deitar tua cabeça no travesseiro e dormir tranquilo, porque vais ter a certeza que não estás traindo os ensinamentos de Deus por meia dúzia de tostões...isto não é legal e não vale a pena e vais te dar conta que tudo que queres pra ti, tua família, teus filhos, nós também queremos para todos.

    ResponderExcluir
  3. estou deixando essa mensagem para que nossos colégas pessem um pouco .
    "O DOM DA FALA FOI CONCEDIDO AOS HOMENS NÃO PARA ELES ENGANAREM UNS AOS OUTROS,MAS SIM PARA QUE EXPRESASSEM SEUS PENSAMENTOS UNS AOS OUTROS."

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!